Bate-papo sobre empreendedorismo feminino

0

Engenheira civil, tecnóloga em Recursos Humanos, contabilista, fisioterapeuta, secretária executiva, designer, psicóloga, publicitária, jornalista, engenheira de alimentos. Professora de inglês, consultora de imagem, agente de viagens, artesã, empresária de moda fitness, instrutora de pole dance, maquiadora, costureira, consultora em Empreendedorismo.

Esta miscelânea de carreiras, profissões e ramos de atuação se somou a uma coletânea de experiências e histórias de vida que enriqueceu e fortaleceu cada mulher que participou do bate-papo sobre Empreendedorismo Feminino.

“Empreender realmente assusta, especialmente a mulher. Nós somos ‘programadas’ para seguir um roteiro definido e que não envolve riscos, por assim dizer. Geralmente, é estudar, casar, ter filhos. A mulher não é ensinada a empreender, a arriscar, tentar, errar, tentar de novo”, disse Juliana Krieger, consultora em Empreendedorismo Feminino.

A exposição percorreu o caminho das dúvidas na hora de decidir empreender: como descobrir o que fazer, perceber onde estão as oportunidades, como fazer e identificar e superar os problemas. A conversa ficou ainda mais rica com as experiências individuais, cada desafio surgido e encarado, medos enfrentados e rotas percorridas.

“Este encontro foi muito significativo. Eu pude entender mesmo o poder que eu tenho, consegui compreender muita coisa, até coisas que aconteceram lá atrás e ainda estava nebulosas e tenho agora a certeza que estou no caminho certo e é isto mesmo que eu quero para minha vida. Eu ganhei mais força para desbravar esse caminho, senti que não estou sozinha e que posso encontrar amparo, pois sem união a gente não é nada”, disse artesã e contabilista, Márcia Prado.

E a parceria entre as mulheres foi o grande destaque do encontro. “Fica todo mundo caindo nesse ‘golpe’ de que mulher está sempre concorrendo com a outra e ninguém avança.

A gente tem que se ajudar e, principalmente, não ter medo de pedir ajuda. Se você tem dificuldade em determinado ponto de seu negócio e uma amiga tem facilidade, chame-a, peça ajuda. Isso não é fraqueza e só fortalece as duas. E aí a gente fortalece mais duas e mais duas e vamos ganhando o mundo”, comentou Juliana.

“Foi em busca dessa força, desse empoderamento que o Entre As Pernas nasceu. Eu sou cada dia mais feliz e mais grata de poder ajudar no fortalecimento de tantas mulheres maravilhosas. Eu cresço com cada uma delas, com a evolução de cada uma. O Entre As Pernas é um espaço para empoderar a mulher e estará sempre de portas abertas para ações como esta”, disse Paloma Augusta, diretora do Espaço Entre As Pernas, que sediou o bate-papo ocorrido no último sábado, 26.

Via ascom

Deixe uma resposta