Desvio de septo acomete cerca de 20% da população

0

Certamente você conhece alguém que vive com o nariz entupido, dorme de boca aberta e ronca. Se sua resposta foi sim, esse alguém pode ter desvio de septo. De acordo com a otorrinolaringologista Patrícia Araújo, o desvio de septo acomete cerca de 20% da população brasileira. “Ele ocorre quando o septo não está devidamente centrado no nariz”, diz.

Segundo a especialista a alteração, capaz de provocar entupimento no nariz, dores de cabeça, sinusite, rinite crônica e até apneia do sono, atinge aproximadamente 38 milhões de pessoas somente no Brasil.

“Seu sintoma principal é a obstrução e congestão nasal, em consequência do desalinhamento existente que provoca uma diminuição do espaço dentro do nariz para a passagem de ar. Ou seja, a normal entrada de ar pelo nariz é dificultada pelo fato de  o septo nasal estar desviado”, diz Patrícia.

Como o septo nasal é uma estrutura composta de osso e cartilagem, que divide por dentro a pirâmide nasal em duas cavidades, direita e esquerda, a doutora explica que ele pode ser ósseo e/ou cartilaginoso, ou ambos.

“Pode ocorrer ao longo de todo o septo nasal ou concentrar-se mais em determinada posição, superior ou inferior, anterior ou posterior. Na maioria dos casos, o tratamento é cirúrgico, através da septoplastia, já que a obstrução respiratória crônica pode provocar ou agravar doenças cardiovasculares de gravidades variadas”, diz a especialista.

Sobre as suas causas, Patrícia enfatiza que o desvio pode afetar tanto adultos quanto crianças (desvio de septo infantil).

“Eles tendem a ocorrer de duas formas traumáticas ou por alterações que ocorrem ao nascimento e se vão desenvolvendo até à idade adulta, possuindo incidência semelhante em ambos os sexos”, cita.

Mas, como alguém pode saber se tem o desvio? De acordo com Patrícia, isso pode ser avaliado através de um exame chamado videoendoscopia nasal, onde é possível diagnosticar e mostrar ao paciente o desvio do septo, assim como a diminuição do espaço dentro do nariz para a passagem de ar. É bom destacar que a única forma de tratar definitivamente o desvio do septo nasal é através de cirurgia de correção do septo, a septoplastia”, comenta a otorrina
Via ascom

Deixe uma resposta