Dia do Alzheimer: saiba como prevenir e identificar sinais da doença

0
Treinos cognitivos, como terapia ocupacional, ajuda na prevenção do Alzheimer

O dia 21 de setembro é marcado pela comemoração do Dia Mundial do Alzheimer, uma data criada com o objetivo de difundir informações sobre a doença, bem como sobre formas de preveni-la ou de amenizar os sintomas gerados. Enfermidade que acomete idosos, o Alzheimer pode ser identificado através de sinais de perda de memória e demência, por exemplo.

Estima-se, de acordo com dados da Associação Internacional de Alzheimer (ADI), que há 46,8 milhões de pessoas com demência no mundo e a causa mais frequente dela, é a doença. Com o envelhecimento da população, a estimativa é que esse número dobre em 20 anos.

Para tentar driblar o crescimento do Alzheimer, a medicina tem estudado formas de prevenir a doença e de conscientizar as pessoas da terceira idade. De acordo com a geriatra do Espaço Ativo, Juliana Pereira, há diversas formas de prevenir e observar os sinais da doença nos idosos. “Hoje, podemos prevenir a doença de Alzheimer e isso é fantástico. Existem duas formas de prevenção. A primeira é prevenir antes que qualquer fase pré-demencial apareça e a segunda é fazer diagnósticos precoces, onde possa ser detectado algum nível de comprometimento cognitivo”, ressalta.

 Formas de prevenção

Para ambos os casos citados pela médica, os idosos podem reduzir chances de desenvolver a doença e até mesmo de minimizar danos causados por ela através da prática de atividades físicas, alimentação saudável, controle de pressão arterial, diabetes e, principalmente, realizar treino cognitivo.

“Sabemos que participar de atividades cognitivamente estimulantes é o maior fator de proteção, especialmente quando realizadas sob a orientação de profissional habilitado, com objetivos e metas traçados. Se a pessoa não tem nenhuma queixa de memória, já pode iniciar o treino cognitivo com o objetivo de construir reserva cognitiva e proteger o seu cérebro”, complementa Juliana.

Comumente falado atualmente, o treino cognitivo nada mais é do que cuidar da mente. Ou seja, estimular a memória, através de exercícios. “Nos preocupamos tanto com o corpo e nossa mente? Nosso intelecto? Precisamos cuidar bem da mente para sermos idosos ativos, independentes e autônomos. Para isso é interessante participar de atividades estruturadas, direcionadas com profissional habilitado, a exemplo de terapia ocupacional. Somado a isso, orientamos as pessoas a diversificarem suas atividades, buscando sempre aprender coisas novas”, ressalta a geriatra.

Dra. Juliana Santana, do Espaço Ativo

Sinais de alerta

A médica especialista também ressaltou sinais de alerta, que devem ser observados e se manifestam em casos de Alzheimer. “O idoso, ou mesmo os familiares, devem ficar atentos a esquecimentos discretos como de objetos, recados, torneira aberta, remédios, compromissos, senhas de banco e pagamentos. Esquecimentos de fatos recentes chama bastante atenção. Pode haver também alteração de linguagem”, explica.

O Alzheimer também pode apresentar alterações psicológicas como irritabilidade, ansiedade e medo. Por isso, procure um médico caso os idosos do seu convívio despertem sintomas como estes. A melhor forma de combater o Alzheimer é prevenindo-o.

Por Danielle Menezes, da equipe VIP

Deixe uma resposta