Dia do Farmacêutico: profissional em ascensão no mercado

0

De acordo com a Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma), o setor vem contribuindo com a economia do país por meio da geração de empregos: até julho de 2019 foram gerados quase 170 mil empregos diretos e o Nordeste concentra cerca de 24% das farmácias do país. Como consequência desse crescimento, o farmacêutico está entre as 15 profissões que mais teve contratações formais nos últimos anos.

Quem já está no mercado fala das diversas possibilidades de atuação. Tiago Gois, por exemplo, é coordenador das farmácias GBarbosa, que integram o grupo Cencosud Brasil. Há 11 anos ele iniciou sua carreira na empresa no atendimento direto ao cliente, foi promovido e hoje é responsável pela operação das 49 unidades nos estados da Bahia, Alagoas e Sergipe.

É essa possibilidade de aprendizados múltiplos aliada ao crescimento profissional que encanta Tiago até hoje: “Conseguimos transitar em várias áreas como técnica, administrativa, marketing, entre outras. A identificação pelas matérias, aprofundamento nos temas relacionadas a saúde e bem estar me levaram para esta escolha. O contato com pessoas é fundamental, o dinamismo e a grande oportunidade de atuação em vários campos, como na farmácia comunitária, hospitalar, varejo, indústria, manipulação foram preponderantes para a minha escolha”, revela.

Para ele, o contato com o público foi fundamental no início da sua carreira. “Gosto da possibilidade de levar conhecimento referente à forma correta do uso de medicamento, horário, analisar na receita se existe algum tipo de interação medicamentosa, assim também como me identifico muito com a parte administrativa de gestão de pessoas e operacional. O varejo é apaixonante, todo dia temos algo novo para aprender”, relata.

Segundo Luciana Melo, farmacêutica gerente da unidade GBarbosa Jardins, o cuidado com o paciente não termina nos consultórios, pois o farmacêutico tem papel fundamental na orientação das pessoas, inclusive sobre o uso de medicamentos para doenças comuns e alertando-os sobre possíveis usos incorretos. “O que me deixa sempre motivada a mais um dia de trabalho é perceber a relevância da nossa profissão no cuidado e saúde do paciente. Dar o suporte necessário a ele quanto ao uso correto do medicamento, sanando dúvidas que muitas vezes eles não têm a oportunidade de tirar com o médico”, afirma.

Ela reconhece a importância que o trabalho vem tendo em sua vida. “É um orgulho para mim, como farmacêutica, trabalhar na companhia, onde, ao longo desses 8 anos, sempre me senti acolhida e onde me desenvolvo pessoal e profissionalmente”, comenta. “Além disso, estamos sempre nos atualizando, já que a indústria farmacêutica vem crescendo e oferecendo produtos cada vez melhores”, conclui Luciana.

Deixe uma resposta