Doença hemorroidária: entenda o que é e a importância de realizar o tratamento correto

0

Muitas são as dúvidas e constrangimentos que envolvem a doença hemorroidária. Conhecida popularmente como hemorroida, ela consiste na dilatação de vasos sanguíneos presentes no ânus. Quando isso acontece, pode haver desconforto, devido ao aumento de volume na região, coceira, dor e sangramentos.

Apesar de não haver números precisos sobre a doença hemorroidária, especialistas acreditam que uma de cada duas pessoas apresentará algum sintoma relacionado às hemorroidas em algum momento da vida. As hemorroidas podem afetar homens e mulheres, principalmente na fase adulta entre os 45 e 65 anos idade. A herança genética é um fator importante para o desenvolvimento de hemorroidas, ou seja, filhos de pais com doença hemorroidária têm uma chance maior de desenvolverem esse problema.

De acordo com o médico André Leite, coloproctologista do Decós Day Hospital, em Aracaju, falar sobre a doença é praticamente um tabu para muitas pessoas. “No consultório, em nossa rotina diária, o que percebemos é a quantidade de pessoas com muitas dúvidas sobre o assunto. O que ocorre é que, praticamente todas as queixas de doenças que se referem ao ânus, as pessoas automaticamente, tem a ideia que se tratam de hemorroidas, como se só essa doença atingisse o local. Existem dezenas de doenças diferentes nesta região do corpo e algumas delas têm um potencial de gravidade, como é o caso do câncer, doenças sexualmente transmissíveis, e diversas outras”, destaca.

Eventualmente, se a hemorroida não for tratada, ela pode formar coágulos, situação conhecida como trombose hemorroidária. Esse tipo de agravamento da doença provoca dor intensa e exige atendimento médico urgente para controle do quadro. Entretanto, diferentemente do que se observa na trombose de vasos das pernas e outras regiões, não há risco de os coágulos alcançarem os pulmões e causarem o tromboembolismo venoso.

“Outra coisa muito comum é ver pessoas que convivem durante muito tempo com queixas referentes às doenças anais, e por julgar ser hemorroida, não procuram o médico. Esses sintomas nesta região do corpo, nem sempre são hemorroidas, e a orientação é vencer o constrangimento e procurar um médico, pois somente assim, esse paciente terá o diagnóstico correto, bem como o tratamento mais indicado”, orienta o especialista.

Além da avaliação clínica dos sintomas, o diagnóstico da hemorroida pode ser feito com o auxílio de exames de imagens que visualizam a região do ânus, como sigmoidoscopia, anuscopia e proctoscopia. O tratamento da doença hemorroidária pode ser feito com mudanças nos hábitos alimentares, aumentando a ingestão de fibras e líquidos para melhorar o fluxo intestinal; pomadas lubrificantes e anestésicas; medicamentos; e cirurgias para a retirada das hemorroidas. O tempo de tratamento varia de uma pessoa para outra, conforme a reação do organismo e a gravidade da hemorroida.

“Muitos mitos envolvem o tratamento das hemorroidas, entre os quais, o pós-operatório doloroso, no caso dos pacientes onde é indicada a intervenção cirúrgica. Costumo dizer que isso é um certo exagero, sendo que a cirurgia, salvo algumas exceções, costuma ter um ótimo pós-operatório”, ressalta o coloproctologista André Leite.

Deixe uma resposta