15/06: Dia para combater a violência contra o idoso

O objetivo da data, 15 de junho, é criar uma consciência mundial, social e política da existência da violência contra a pessoa idosa, e, simultaneamente, disseminar a ideia de não aceitá-la como normal

0

Há poucos dias a população brasileira ficou chocada com uma série de vídeos que flagrava um homem, de São Luís (MA) agredindo de maneira covarde sua própria mãe, de 84 anos. A violência contra a pessoa idosa assusta, e é um dos assuntos que mais merece atenção de todo mundo.

O próximo dia 15 de junho marca o Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa. A data foi instituída em 2006, pela Organização das Nações Unidas (ONU) e pela Rede Internacional de Prevenção à Violência à Pessoa Idosa.

O objetivo da data é criar uma consciência mundial, social e política da existência da violência contra a pessoa idosa, e, simultaneamente, disseminar a ideia de não aceitá-la como normal.

A violência, não só física, como também a psicológica, acomete idosos de todas as faixas econômicas. O abandono nos asilos, a falta de carinho, a pressão psicológica e o descaso são formas de agressão que muitas vezes passam desapercebidas.

Negligência e Abandono
Com o intuito de dar visibilidade à promoção e garantias do direito da pessoa idosa, além de mobilizar e ampliar o nível de informação da sociedade sobre esses direitos, a geriatra Juliana Santana, da Clínica de Geriatria Integrada Espaço Ativo, diz que as principais formas de violência cometidas contra as pessoas idosas no Brasil são a negligência e o abandono.

Como identificar um idoso que esteja sofrendo este tipo de violência? A médica aponta as questões de maus-tratos e os sinais que podem ser apurados. Segundo Juliana, a negligência é a primeira violência identificada e faz com que se abram portas para outras formas de violações.

“Devido a diminuição da capacidade física e de reação, os idosos são alvos fáceis para todo o tipo de abuso e de negligência. É preciso combater todo o tipo de conduta abusiva em relação aos idosos”, ressaltou a geriatra.

Denúncia
As denúncias de agressões ou qualquer outro tipo de violência contra os idosos podem ser feitas pelo Disque 100. A ligação é de graça de qualquer lugar do Brasil.

TIPOS DE VIOLÊNCIA CONTRA O IDOSO
– Violência física: é o uso da força física para compelir os idosos a fazerem o que não desejam, para feri-los, provocar dor, incapacidade ou morte.

– Violência psicológica: corresponde a agressões verbais ou gestuais com o objetivo de aterrorizar, humilhar, restringir a liberdade ou isolar do convívio social.

– Violência sexual: refere-se ao ato ou jogo sexual de caráter homo ou hetero-relacional, utilizando pessoas idosas. Esses abusos visam a obter excitação, relação sexual ou práticas eróticas por meio de aliciamento, violência física ou ameaças.

– Abandono: é uma violência que se manifesta pela ausência ou deserção dos responsáveis governamentais, institucionais ou familiares de prestarem socorro a uma pessoa idosa que necessite de proteção e assistência.

– Negligência: refere-se à recusa ou à omissão de cuidados devidos e necessários aos idosos por parte dos responsáveis familiares ou institucionais. É uma das formas de violência mais presentes no país. Ela se manifesta frequentemente associada a outros abusos que geram lesões e traumas físicos, emocionais e sociais, em particular, para as que se encontram em situação de múltipla dependência ou incapacidade.

– Violência financeira ou econômica: consiste na exploração imprópria ou ilegal ou ao uso não consentido pela pessoa idosa de seus recursos financeiros e patrimoniais.

– Autonegligência: diz respeito à conduta da pessoa idosa que ameaça sua própria saúde ou segurança, pela recusa de prover cuidados necessários a si mesma.

– Violência medicamentosa: é administração por familiares, cuidadores e profissionais dos medicamentos prescritos, de forma indevida, aumentando, diminuindo ou excluindo os medicamentos.

– Violência emocional e social: refere-se a agressão verbal crônica, incluindo palavras depreciativas que possam desrespeitar a identidade, a dignidade e a autoestima. Caracteriza-se pela falta de respeito à intimidade, falta de respeito aos desejos, negação do acesso a amizades, desatenção a necessidades sociais e de saúde.

Fonte: Cartilha “Violência contra Idosos – o Avesso de Respeito à Experiência e à Sabedoria“, da Secretaria Especial de Direitos Humanos

Por Danielle Cavalcante, da equipe VIP

Deixe uma resposta