Inclusão Digital é tema de palestra na AEASE

Muito aprendizado, bate-papo e curiosidades sobre o mundo online, assim foi a tarde da segunda-feira, 26 de março, durante a palestra sobre ‘Inclusão Digital e Mídias Sociais’ realizada na sede Associação de Engenheiros Agrônomos de Sergipe (AEASE).

0
Inclusão Digital é tema de palestra na AEASE

Muito aprendizado, bate-papo e curiosidades sobre o mundo online, assim foi a tarde da segunda-feira, 26 de março, durante a palestra sobre ‘Inclusão Digital e Mídias Sociais’ realizada na sede Associação de Engenheiros Agrônomos de Sergipe (AEASE). O evento, que foi uma parceria entre o Espaço Ativo, a Comunicação VIP e a AEASE, atraiu muitas pessoas que buscavam tirar dúvidas e compreender um pouco mais sobre o mundo virtual.

Durante a palestra o público pôde esclarecer conceitos utilizados na internet e ficou por dentro de novas tecnologias que facilitam a comunicação e as atividades do dia a dia, além de poder discutir um pouco sobre a mudança do comportamento das pessoas e as tendências que surgem a partir dessa nova realidade.

Para a palestrante, a especialista em Marketing Digital e a assessora de Comunicação Empresarial, Shirley Vidal, o encontro foi bastante positivo e o mais importante é sempre mostrar que a inclusão digital está diretamente ligada a inclusão social. “Já esperávamos um público mais maduro, pois os nativos digitais, que são aqueles que nasceram e crescem em volta da tecnologia, não tem tanta dificuldade de adaptação, eles aprendem mais facilmente”, explicou a profissional que destacou. “O importante é passar para eles que quando as pessoas não estão incluídas digitalmente, estão excluídas socialmente. Por isso trazemos as mídias sociais que são tão potencializadas e outros recursos, como aplicativos, além de mostrarmos coisas que estão por vir, como a era pós-app, por exemplo”.

A necessidade de se falar sobre o tema também foi ressaltada pela geriatra do Espaço Ativo, a médica Juliana Silva. “É necessário incluir digitalmente, é uma tendência que anda com uma velocidade muito grande e o público acima dos 40, 50 anos, precisa acompanhar, para poder viver com mais autonomia e mais independência”, afirmou.

Um exemplo de como a dificuldade em lidar com as novas tecnologias pode excluir a pessoa de um grupo, é o caso de Jolinda Melo, que após se aposentar, chegou a iniciar um novo curso universitário, mas se desestimulou por não saber usar os recursos digitais. “Tenho muita dificuldade no manuseio, quero realmente pôr em prática tudo que escutei e aprendi hoje, pois fico limitada. Eu cheguei a passar no Enem, fiz o primeiro período da faculdade, mas como usavam muito a internet eu não me senti inserida, não consegui acompanhar, então o meu sonho é conseguir entender essa parte digital”, contou.

Quem já tem um pouco de conhecimento e desfruta das suas vantagens é o aposentado José Venâncio Filho, 66 anos. “Sei o básico, mas não tenho habilidade devida, apesar disso, faço compras online, uso aplicativos e estou no facebook. O que mais gosto é poder usar o aplicativo do banco, é muito cômodo e facilita a vida. Quando bate a dúvida eu peço socorro aos meus filhos, mas mesmo tendo quem me ensine acho importante buscar o conhecimento fora”, revelou.

Para quem se interessou no assunto e quer aprofundar mais o conhecimento na área, o Espaço Ativo está com inscrições abertas para a oficina de Mídias Sociais, que iniciará uma turma no dia 7 de abril. As informações podem ser obtidas através do telefone 3022-2100.

Deixe uma resposta