Infectologista alerta para hábitos que podem evitar doenças comuns no verão

0

O verão começou em dezembro e segue até março. Nesse período de altas temperaturas temos as férias escolares, festividades de final de ano e o carnaval. Por conta do calor, os destinos mais procurados para aproveitar a estação são aqueles que tenham muita praia e piscina, o que acaba sendo propício para o desenvolvimento de algumas doenças.

De acordo com o médico infectologista do Decós Day Hospital, Dr. Thiago Mendes, grande parte dos problemas de saúde identificados no verão são ocasionados por hábitos que adotamos neste período. “Não é que o ambiente em si propicie as doenças, mas a mudança de hábitos das pessoas acabam ocasionando enfermidades. O que mais percebemos  são casos de intoxicação alimentar, por exemplo, provocado em sua maioria pela ingestão de alimentos de procedência duvidosa”.

Como as pessoas acabam fazendo as refeições com ambulantes ou em barracas de praia, que algumas vezes não conservam de forma adequada os alimentos, a alimentação acaba sendo uma vilã, pois através dela é possível a contaminação por bactérias, fungos ou toxinas produzidas por esses micro-organismos. Após o consumo de alimentos contaminados, os sintomas iniciam com náuseas, vômitos, diarreia, febre e evoluem para desidratação e um mal-estar generalizado.

Por isso, o infectologista alerta para que as pessoas verifiquem sempre a procedência dos alimentos. Além disso, Dr. Thiago Mendes também chama a atenção para outra ocorrência comum no verão: a desidratação.  “É preciso tomar cuidado, principalmente quando estamos na praia ou em lugares mais quentes. Tomar água é muito importante e aqui no nordeste temos a água de coco que é de fácil acesso e repõe os sais minerais. Ela é uma ótima aliada no verão”, ressaltou.

A época também é propícia para o surgimento de doenças da pele, as micoses, que são focos de infecção causadas pela proliferação de fungos em alguma parte do corpo. Normalmente, essas regiões costumam ser mais quentes e úmidas, pois são as que mais favorecem a reprodução dos micro-organismos. Ambientes de piscina acabam sendo favoráveis ao contágio deste tipo de doença devido a aglomeração de pessoas nesses locais.

 Choque térmico

Com as temperaturas elevadas é comum o uso dos aparelhos de ar-condicionado e o choque térmico ao entrar e sair de ambientes com temperaturas diferentes também pode causar prejuízo à saúde. “Por conta do calor a maioria das pessoas liga o ar-condicionado com mais frequência, só que o uso do aparelho requer cuidados para evitar crises de rinite, sinusite e asma. É preciso deixar o ambiente mais úmido para evitar o ressecamento das vias respiratórias e sempre verificar a manutenção do ar-condicionado”, afirmou.

Dengue

O especialista também destacou da época ser propícia para o desenvolvimento do aedes aegypti. “Nos próximos meses começam as chuvas e como ainda estamos com altas temperaturas, o ambiente fica apropriado para o mosquito. Por isso, a população deve redobrar o cuidado e não deixar água acumulada, evitando o mosquito e consequentemente a dengue e outras doenças transmitidas por ele”.

Deixe uma resposta