Marcus Araujo, o mago do imobiliário, realiza importante palestra em Aracaju

0

Na última terça-feira, 30 de abril, o auditório da Cohab Premium Imobiliária, em Aracaju, foi palco para uma verdadeira aula sobre as tendências do mercado imobiliário. O professor? Marcus Araujo, presidente da Datastore, considerado o mago do setor de imóveis, que, durante quase três horas, desvendou “O imóvel além do imóvel”, tema da nova palestra dele e que já é sucesso. Com o apoio institucional da Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário de Sergipe (Ademi/SE), o evento contou com a participação de diversos empresários, diretores de construtoras e imobiliárias, gerentes, engenheiros, arquitetos, corretores de imóveis e estudantes de áreas afins.

Para Jorge Eduardo Santos, diretor da Cohab Premium, que cedeu o amplo auditório, foi uma palestra importantíssima para os profissionais sergipanos, que buscam sempre ter mais conhecimento, especialmente sobre as novas tendências do mercado. “Considero imprescindível falarmos sobre esse assunto, para que as empresas projetem empreendimentos que reflitam os desejos dos clientes de hoje. Especialmente quando se leva em conta que são informações embasadas em pesquisas da Datastore, conceituada empresa do ramo. Desse modo, para nós, corretores, é essencial, porque nos ajuda a melhorar as vendas e, assim, a reaquecer o setor”, ressalta Jorge Eduardo.

Marcus Araujo, que é também embaixador da house Vitacon e membro do Conselho Regional de Estatística de São Paulo, destacou que a Datastore possui muito mais do que um acervo de dados. “Ele é um bigdata, é vivo, é ativo. A Datastore tem um passado muito forte, que a gente acumulava, além de saber das novas expectativas do consumidor em diversas categorias de imóveis. Entreguei uma pesquisa aqui em Aracaju, já comparei com meu acervo e disse: “Você vai lançar o produto e vai vender em sete meses”. Isso é alta velocidade”, exemplificou.

Entre as atuais tendências do setor, o especialista ressaltou as mudanças no perfil da família brasileira, antes muito mais numerosa. “Hoje, com as famílias menores, a tendência é que os imóveis também diminuam. Em Aracaju, as unidades habitacionais “encolheram” cerca de 15%. É preciso que as construtoras se atentem para isso. Não se deve reaproveitar o projeto que foi guardado na época da crise, quando não foi lançado, e usá-lo do mesmo jeito sem que seja adequado às necessidades do mercado”, recomendou.

Em sua palestra, Marcus Araujo destacou que o mundo vive uma nova revolução: a da singularidade. Assim, a nova fronteira do mercado imobiliário é o serviço, já que itens de segurança e lazer existem há bastante tempo. Ele citou, por exemplo, um empreendimento em São Paulo, onde há um espaço refrigerado para receber alimentos frescos, ou outro em que há um ponto avançado (uma espécie de creche) da escolinha dos filhos, onde os pais podem deixá-los em tempo integral até voltarem do trabalho. “Hoje, há mudanças, como a inexistência de empregadas domésticas ou fato de a mulher atuar mais maciçamente no mercado de trabalho. As pessoas não têm mais tempo para resolver os problemas do dia a dia. Agora, elas querem serviço. Ou seja, precisam de apoio no dia a dia delas”, observa.

Deixe uma resposta