Maternidade e carreira: organização é essencial para buscar o equilíbrio

0

No próximo domingo, 12 de maio, é comemorado Dia das Mães e o momento nunca foi tão propício para a discussão sobre equidade de gênero nas organizações. As mulheres representam 43,8% dos empregos no Brasil, o que equivale a cerca de 40,8 milhões de trabalhadoras, e Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnac), em 2015, mostrou que o número de famílias chefiadas por mulheres mais que dobrou em 10 anos. Diante deste cenário, para muitas mulheres, a organização da rotina e o apoio da empresa são fundamentais para conciliar família e carreira.

Na Cencosud Brasil, quarta maior supermercadista do país, quase metade dos 26 mil colaboradores é composta por mulheres. Delas, 43% ocupam cargos de liderança e quase 60% declaram ter filhos ou dependentes. Além disso, do total de promovidos em 2018, 67% foram mulheres. Foi o caso de Raquel Nunes, profissional de Recursos Humanos da Cencosud Brasil. “Voltei de licença maternidade e fui promovida! Sinto-me mais completa no meu papel de mãe, em trabalhar com o que amo e apoiar minha renda familiar. Tenho gratidão por estar em uma companhia que valoriza as mulheres, os históricos e desempenho delas”, relata. Em 2017, pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) mostrou que metade das mães perdem o emprego 12 meses após o fim da licença maternidade. “A minha história deveria ser mais comum no mercado de trabalho, mas infelizmente não é”, avalia Raquel.

O retorno ao trabalho é um dos grandes desafios para a mães. Com quase 50 anos e dois filhos, um de 31 e uma de 22 anos, a gerente do GBarbosa Jardins, Genilde Dantas, recebeu um novo presente: Gael, o caçula. Ela voltou da licença maternidade e a rotina mudou. “Não durmo mais como antes, mas preciso estar bem na loja. Antes eu podia sair mais tarde, mas agora tem um serzinho me esperando em casa e todos aqui compreendem isso. Ser mãe e trabalhar não é uma tarefa fácil, mas a gente dá conta”, afirma a gerente, que está há 17 anos na companhia.

E há também a história de Patrícia Neves, coordenadora do SAC, que após cumprir todo o processo de adoção junto ao esposo, hoje desfruta da felicidade em ser mãe de Daniel. “Adoção é sinônimo de amor. Retornar ao trabalho foi difícil, mas consigo conciliar porque conto com o apoio do meu marido”, conta. Patrícia diz que, desde que comunicou ao seu gestor o primeiro contato com o juizado, recebeu apoio. “Ele disse: ‘planeje suas visitas e corra atrás do seu sonho’. A equipe deu o maior incentivo e sentiu um carinho e amor pelo meu filho mesmo sem conhecer. Os colegas de trabalho que conhecem minha história se emocionam e parabenizam”, lembra.

Diversidade e Inclusão

A Cencosud adotou Política de Diversidade & Inclusão para reforçar o respeito no que tange a gênero, orientação sexual, raça ou faixa etária entre os colaboradores. Como forma de promover o tema internamente, a companhia realiza diferentes ações, como conteúdos na plataforma de treinamento online, campanhas internas e comitês dedicados ao tema com participantes de todos os países onde está presente. A Cencosud também possui um Código de Ética com as diretrizes de comportamento que devem guiar colaboradores a incorporar os princípios e valores da organização em benefício da sua conduta profissional.

Como reflexo do trabalho que vem sendo desenvolvido, as empresas da Cencosud Brasil estão entre as melhores empresas para trabalhar no Varejo no ranking da Great Place to Work (GPTW). Os interessados em trabalhar na companhia devem cadastrar currículo no site www.vagas.com.br/cencosudbrasil  e acompanhar a página da Cencosud S.A. na rede social LinkedIn.

Deixe uma resposta