Mini jardins: encantadores e práticos

Eles exigem poucos cuidados, levam mais verde ao lar, além de criar um charme na decoração da casa. Saiba como cultivá-los!

0
Os terrários podem ser montados em qualquer recipiente de vidro. Nas garrafinhas, eles ocupam pouco espaço! (Foto: Westwing Home & Living)

Parece difícil conciliar a paixão por plantas e a moradia em locais compactos, como apartamentos ou casas pequenas, não é mesmo? No entanto, com criatividade e sabendo escolher os tipos e tamanhos corretos de plantas, é possível, sim, inserir mais verde no seu lar.

Além dos mini jardins, jardins verticais e mini hortas, há como opção também os terrários, que são pequenos jardins montados dentro de recipientes de vidro, como aquários, vasos e até mesmo, lustres e lâmpadas. O que vale mesmo é usar a criatividade!

No entanto, antes de escolher qual tipo de jardim você deseja ter na sua casa, é necessário observar alguns pontos. O primeiro é analisar o espaço: se você possui um cantinho que possa abrigar uma pequena horta ou jardim vertical ou se apenas dispõe de pequenos espaços livres. Se a resposta for a segunda, você pode optar pelos terrários.

Os terrários podem ser montados em recipientes de vidro diversos, como aquários Foto: Atelier Botânico
A montagem de terrários em aquários são comuns e dão um charme extra à casa (Foto: Atelier Botânico)

Para montar, basta apenas dispor de um recipiente de vidro, de terra vegetal, pá para jardinagem, pequenas pedras (que podem ser coloridas) e claro, as plantas. As mais utilizadas são as minissuculentas, como a planta pérola e a orelha de gato.

Hortinhas também ocupam pouco espaço e trazem ao lar o perfume das hortaliças, como manjericão, alecrim e hortelã (Foto: Atelier Botânico
Hortinhas também ocupam pouco espaço e trazem ao lar o perfume das hortaliças, como manjericão, alecrim e hortelã (Foto: Atelier Botânico)

Jardins verticais e hortinhas
Mas, se você tiver espaço na varanda, por exemplo, é possível ter algumas plantas num minijardim ou ainda uma hortinha vertical, para utilizar temperos frescos nas receitas. Para isso, a bióloga Julianna Matos indica que o local onde as plantas serão colocadas seja analisado.

“Primeiro, deve-se observar a ventilação e a incidência de sol do lugar, pois existem plantas que se adaptam e necessitam de bastante luz, outras não. Feita essa análise, é só escolher as plantas adequadas”, explica.

De acordo com a profissional, para locais de meia sombra, que são mais comuns, o ideal é investir em orquídeas, suculentas, antúrios e lírios. Há ainda os cactos, que são existentes, exigem poucos cuidados e podem dar um charme extra à decoração do lar. Mas, se a escolha por pelo cultivo de hortaliças, ela alerta que é necessária uma maior incidência de luz.

“No caso da opção pelas hortinhas, com coentro, alecrim, salsa, manjericão, hortelã, a pessoa que vai plantar tem que saber que elas precisam de sol, por isso devem ficar em locais iluminados naturalmente e arejados”, complementa.

Neste caso, como elas não crescem muito e são frequentemente aparadas para uso das folhas, as hortaliças se tornam ideais para quem não tem espaço, podendo inclusive, ser armazenadas nas paredes – conhecidas como jardins verticais.

Falta de espaço não é problema na hora de inserir mais verde na sua casa, use a criatividade! (Foto: Pinterest)
Falta de espaço não é problema na hora de inserir mais verde na sua casa, use a criatividade! (Foto: Pinterest)

Cuidados
Para estes tipos de plantação, os cuidados são simples, segundo ela. Basta regar de uma a duas vezes ao dia, além de observar sempre se estão recebendo luminosidade e crescendo saudáveis.

No entanto, no momento da escolha, é preciso pesquisar também se as espécies desejadas são venenosas, em caso de possuir crianças e animais de estimação em casa.

“Mesmo que as plantas fiquem suspensas, corre-se o risco das folhas caírem e as crianças ou bichinhos ingerirem. Por isso, é preciso ficar atento antes de escolhê-las”, ressalta Julianna.

Por Danielle Menezes, da equipe VIP

Deixe uma resposta