Mulheres do Varejo: Cencosud Brasil mapeia histórias de colaboradoras e revela raio X feminino do setor

0

Elas representam cerca de 50% da mão de obra do setor, de acordo com o grupo Mulheres do Varejo. Contudo, apenas 16% ocupam cargos de liderança neste segmento que é um dos principais empregadores do País. Mas os aspectos são otimistas, visto que o grau de escolaridade entre as mulheres cresceu em média um ano a mais, comparado aos homens. A Cencosud Brasil, 4ª maior rede varejista, realizou um mapeamento especial para este Dia Internacional da Mulher, 8 de março, com o intuito de promover maior diversidade, inclusão e discussão entre seus 24 mil colaboradores.

Por meio do Programa de Reconhecimento ‘Mulheres que Deixam a sua Marca’, comitês foram organizado com foco na cultura e diversidade da empresa para avaliar as mais de 500 indicações internas recebidas de histórias de mulheres que trabalham nas bandeiras GBarbosa, Mercantil Rodrigues, Perini, Prezunic e Bretas, além das áreas administrativas e do negócio de serviços financeiros.

Dentre tantos relatos de superação, compromisso e paixão pelo que faz, há algo em comum entre todas as histórias: as mulheres mais admiradas no varejo iniciaram suas carreiras em postos de trabalho da base da pirâmide, como empacotadoras e operadoras de caixa. Também encontraram apoio para conciliar os estudos com a carreira e a maternidade, além de receberam desafios que comprovaram a capacidade de crescer, liderar e ser inspiração para as demais mulheres que atuam no setor.

Da roça ao supermercado

É o caso de uma das 10 histórias mais admiradas do ‘Mulheres que Deixam a sua Marca’, da gerente da loja GBarbosa Jardins, em Aracaju (SE), Genilde dos Santos. Aos 11 anos ela levantava às 3h da manhã para plantar hortaliças junto aos 20 irmãos, no município de Itabaiana. “Era muita gente! Morávamos em uma casa de taipa durante boa parte da minha infância e adolescência”, recorda. O valor do trabalho, herdado pelo pai sapateiro e pela mãe que confeccionava panelas de barro, logo foi adquirido. Na empresa há 30 anos, ela iniciou como empacotadora part-time na loja do GBarbosa, em Itabaiana. E assim como numa escada, Genilde sobe degrau a degrau com compromisso pelo que faz.  “Daí em diante passei por várias lojas de Aracaju como encarregada de depósito, eletro, têxtil e bazar. Em 2004, participei de uma seleção para gerente de setor e consegui a vaga. Tive a oportunidade de conhecer diversas lojas, ter outros pensamentos e novos desafios”, conta. Em 2007, recebi a missão de padronizar e reorganizar toda a área de não-alimentos de todas as lojas super da rede. Uma experiência incrível”, conta.

Foram muitas conquistas ao longo de três décadas de GBarbosa. “Primeiro, ingressei na faculdade em 2004, minha maior conquista pessoal. Em seguida, comprei minha casa e meu carro 0 km. Também pude proporcionar aos meus filhos tudo que eu não tive na minha infância”, afirma. Foram muitos os desafios, mas ela enxerga, em todos, a oportunidade de evoluir como pessoa, de concluir os estudos e de chegar à gerência da maior loja GBarbosa, Jardins. “Atendemos com paixão os nossos clientes. Esse é um valor que ninguém nos tira. Chego todos os dias como se fosse o meu primeiro. Pensamos como donos do negócio e procuramos sempre ser criativos e inovadores. É isso que realizo diariamente. Sou apaixonada por motivar pessoas, despertar o interesse do outro e transmitir o meu aprendizado. É isso que me deixa mais feliz nessa companhia. E posso, sem dúvidas, afirmar que faço parte desse negócio”, salienta.

 

Mãe que lidera pelo exemplo

Ser mãe é ter cuidado nos mínimos detalhes onde quer que esteja. Assim é a história de uma das líderes que mais inspiram outras pessoas na rede GBarbosa. Claudia Viana é colaboradora há 9 anos da Cencosud Brasil e demonstrou dar conta do recado em todos os desafios que lhe foram confiados. Assim como uma mãe sábia, concilia, conquista pela atitude positiva e lidera pelo exemplo. Gerente da loja GBarbosa Costa Azul em Salvador (BA), com 32 PDV’S e cerca de 150 colaboradores, Claudia também já foi gerente em Guarajuba e em Brotas, onde considera sua principal prova de capacidade profissional.

A empresa sabia que Claudia era a solução para revitalizar aquela loja do bairro de Brotas. “Uma vez pedi a um colaborador do hortifruti para me ajudar com algo na mercearia, ele respondeu que ali cada um fazia o seu. Um tempo depois, esse mesmo colaborador estava desentupindo todos os banheiros da loja. Eu não pedi para ele fazer, mas ele incorporou o espírito de colaboração e se dispôs a ajudar o outro setor”. Esse era o sentimento que Claudia desejava implantar na equipe: o de união. “Acredito que foi o maior desafio da minha carreira. Busquei todos os dias inovar, acreditar, encontrar alguma forma de motivar as pessoas com poucos recursos e em nenhum momento descansei. Após um ano, no último mês, viramos o Ebitda negativo da loja. Era um sonho ver essa conquista vinda da união de todos”, comemora.

Mulheres que não se limitam

A história de Márcia Rodrigues, há 14 anos na Cencosud Brasil, é uma das que geram identificação e empatia. Mãe, esposa e oriunda de uma família com poucos recursos, encontrou no varejo a porta de entrada para desenvolver sua carreira. Iniciou como empacotadora da loja GBarbosa Jardins, em Aracaju (SE). Com muita vontade de aprender, galgou posições diversas até encontrar onde mais se destacava profissionalmente na companhia. Atualmente ela é responsável pelos processos administrativos e financeiros das galerias GBarbosa, atuando na matriz. Quando estava decidida a fazer uma segunda faculdade, em 2014, teve um grave problema de saúde. Márcia foi diagnosticada com uma doença autoimune, a Esclerose Múltipla, afetando seu sistema nervoso e as articulações. Não é fácil conviver com a ideia de que seus movimentos e pensamentos podem ser limitados. “É difícil entender por que somos acometidos por estas coisas. Foi muito doloroso. A gente pensa em desistir, desestimula. Mas, temos que encontrar força no que nos faz feliz e pensar para frente.” Márcia não deixou se abater.

Começou o tratamento logo que descobriu o diagnóstico e evitou sequelas. Os sintomas continuam e são diários, então ela vive uma luta diária, se apegando ao que lhe faz bem. “Não quis ficar em casa e me afastar do trabalho porque é onde encontro força, recebo apoio, carinho e compreensão”, atesta.

Celebração

No dia 12 de março a Cencosud Brasil realizará uma cerimônia de reconhecimento às mulheres da empresa. A essência dos relacionamentos, estes aspectos tão humanos que são a base da convivência entre todas as pessoas, sejam colegas de trabalho, relações entre clientes, fornecedores e sociedade em geral, dará o tom da celebração ao Dia da Mulher. Na ocasião, algumas histórias do programa ‘Mulheres que Deixam a sua Marca’ receberão homenagens especiais, promovendo a representatividade destas colaboradoras diante de todo corpo funcional. Momentos como este disseminam e reforçam a cultura de valorização ascendente às mulheres do varejo e denotam o quanto a implantação da política de diversidade tem sido encarada como pauta relevante na Cencosud.

Deixe uma resposta