Pão nosso de cada dia

Padeiro é homenageado no dia 8 de julho, dia de Santa Isabel padroeira dos panificadores

0
Manildo Sena, padeiro da rede GBarbosa

A produção de pães envolve mais do que profissão e alimentação. A história do pão, um dos alimentos mais antigos da humanidade, inclui também generosidade, solidariedade e religiosidade. Estudos apontam que o pão surgiu na Mesopotâmia há 12 mil anos com o cultivo do trigo e os primeiros pães eram achatados, secos e amargos. Foram os egípcios os primeiros povos a utilizarem os fornos para assar pães e, no Brasil, o alimento substituiu o beiju, no século XIX.

Um dos costumes e uma das satisfações do brasileiro é acordar cedinho, sentir o cheiro do pão e saboreá-lo quentinho com manteiga e café. Tamanha é a importância do pão e de quem o produz que o padeiro ou panificador é homenageado no dia 8 de julho, quando também se comemora a padroeira dos panificadores, Santa Isabel, que distribuía pães aos pobres portugueses e transformou o alimento em rosas – o milagre de Santa Isabel.

Mercado de Trabalho

Na área de panificação, o mercado de trabalho é amplo e em constante crescimento. Por isso, a concorrência também é grande, pois existe um número cada vez maior de padarias, oferecendo diferenciais de serviços e buscando por mais funcionários. Os profissionais que se qualificam e se especializam são muito procurados, já que nesta área sobram vagas e faltam profissionais qualificados para preenchê-las.

Para ser panificador não é necessário ter uma formação específica, mas é obrigatório que o profissional seja alfabetizado, para acompanhar receitas e fazer adaptações. Tendo em vista a competitividade do mercado, o profissional que deseja se destacar deve procurar se capacitar, realizando cursos de atualização/qualificação, participar de treinamentos, workshops e feiras de culinária.

Faixa Salarial

Em média, o piso salarial da profissão é de R$ 1.275, dependendo da região em que se trabalha e do tipo de estabelecimento. Tendo em vista que faltam panificadores no mercado, um bom padeiro pode receber, em média de R$ 1.500,00 a R$ 2.000,00. Autônomos têm renda variável de acordo com o Sistema Nacional de Empregos – Sine.

Como resistir ao pão, alimento que reúne história, religiosidade e sabor? O padeiro Manildo Sena trabalha na rede GBarbosa há 20 anos e é um dos 464 profissionais, entre padeiros, confeiteiros, masseiros e pasteleiros da bandeira do Grupo Cencosud, no Nordeste. Na padaria, na loja do Shopping Jardins, Manildo e a equipe produzem cerca de 4 mil pães por dia, desde o tradicional francês, também chamado de sal ou cacetinho, de milho, leite, hot dog, hambúrguer aos mais elaborados, salgados e doces, com recheios.

De acordo com Manildo, a tecnologia ajudou na produção dos pães, que antes eram feitos com mãos, braços e força, mas ele conta que não bastam máquinas modernas e um bom forno para fazer um bom pão. “É fundamental ter amor pelo que faz, é preciso trabalhar com satisfação. O resultado a gente sente no sabor do pão. Esse é o segredo para o preparo de uma boa massa”, destacou. E para comemorar o Dia do Padeiro, Manildo ensina uma receita para fazer em casa de Ciabatta Recheada, um dos pães preferidos dos clientes da loja.

Ciabatta Recheada

Ingredientes

  • 1 kg de farinha de trigo
  • 100g de farinha de trigo
  • 2 tabletes de fermento para pão (30g)
  • 1 xícara (chá) de água morna
  • 2 ovos
  • 2 colheres (sopa) de margarina
  • 1 xícara (chá) de leite
  • 1 pitada de sal
  • 1 colher (sopa) de açúcar
  • 500gr calabresa ou presunto, 200gr de mussarela, ½ cebola grande picada e salsa a gosto.

Modo de preparo
Esponja

Em um recipiente, misture o fermento esfarelado, o sal, água morna e 100g de farinha. Cubra com um pano e deixe crescer.

Massa

Em um recipiente, coloque metade da farinha, o açúcar, a margarina, os ovos levemente batidos, a esponja reservada e o leite. Mexa com as mãos e, se necessário, utilize o restante da farinha para dar o ponto. Agora, sove sobre superfície enfarinhada até obter uma massa lisa.

Deixar a massa lisa descansar por cerca de 30 minutos. Depois, abrir a massa com as pontas dos dedos, rechear e modelar no formato de uma bola. Coloque-a em uma assadeira redonda e alta, untada e polvilhada e deixe por 1h30 para dobrar de volume

Levar ao forno pré-aquecido em temperatura média, 180°C, por 15 a 20 minutos e depois em temperatura alta, 200°C, por mais 15 a 20 minutos.

*Milagre de Santa Isabel

A origem do Dia do Padeiro é de 1333, período de crise econômica em Portugal, e da história do milagre de Santa Isabel, casada com o rei D. Diniz. Para ajudar as pessoas com fome, ela empenhou suas joias e, com o dinheiro, comprou trigo para abastecer o celeiro real, produzir pães e distribuir aos pobres. A generosidade era mantida no anonimato, mas um dia o rei encontrou a rainha Isabel saindo para a distribuição e, com medo da censura do marido, ela enrolou os pães no avental para escondê-los.

O rei, intrigado com a postura da esposa, perguntou o que havia no avental, e ela disse que eram rosas. Desconfiado e acreditando que a flagraria em algo, insistiu para que ela abrisse o avental. Para surpresa de todos, rosas vermelhas caíram ao chão. O rei, muito emocionado, beijou as mãos da esposa, enquanto súditos famintos gritavam que havia acontecido um milagre.

Por Danielle Cavalcante, da Equipe Vip

Deixe uma resposta