Programa investe e estimula o desenvolvimento industrial em Sergipe

O Brasil Mais Produtivo objetiva aumentar em pelo menos 20% a produtividade das empresas, e em Sergipe já mostra bons resultados

0
O proprietário da indústria Dimadeira Soluções em Móveis, José Carlos de Sousa

Uma iniciativa do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (APEX-Brasil) e Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) tem modificado a realidade de algumas empresas no estado de Sergipe.

É o Brasil mais Produtivo (B+P), que desde 2016 atende empresas sergipanas do segmento moveleiro.

O projeto que nasceu de um programa piloto da Confederação Nacional da Indústria (CNI), com 18 empresas nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e Ceará, tem parceiros como o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE) e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), pretende ampliar a produtividade das empresas de pequeno e médio porte do Brasil inteiro em pelo menos 20%.

Os segmentos atendidos são: Alimentos e Bebidas, Metalmecânico, Moveleiro, Vestuário e Calçados.

Ao todo, o projeto visa atender a três mil empresas no Brasil e em Sergipe, a meta para o ano de 2016 foi alcançada, que era levar o Brasil Mais Produtivo para 20 empresas.

Todas as indústrias inseridas no projeto, no estado, são do segmento moveleiro.

O objetivo é ampliar esse atendimento em 2017 para as empresas de outros setores, é o que destaca a coordenadora do projeto e consultora do SENAI Sergipe, Flávia Barbosa.

Flávia Barbosa, coordenadora do projeto e consultora do SENAI Sergipe
Flávia Barbosa, coordenadora do projeto e consultora do SENAI Sergipe

“O SENAI Nacional está em negociação com os parceiros para ampliar o atendimento do B+P até 2019 em todo Brasil. Um dos itens em negociação é não limitar setor e nem APL (Arranjo Produtivo Local – Municípios). Outro projeto que iremos iniciar ainda em 2017 é o Brasil Mais Eficiente, utilizando a mesma metodologia Lean aplicada a Eficiência Energética na Indústria”.

Em Aracaju já existe empresário satisfeito com o resultado obtido após a implantação do Brasil Mais Produtivo. O proprietário da indústria Dimadeira Soluções em Móveis, José Carlos de Sousa, que trabalha no mercado sergipano há 25 anos, acredita que o projeto transformou os processos da empresa dele.

“Foi apresentado em uma reunião para o nosso sindicato o projeto do Brasil Mais Produtivo e eles precisavam de uma empresa piloto, daí eu indiquei a Dimadeira para ser essa empresa que iniciaria o projeto, e foi realmente bastante interessante toda essa experiência. Na equipe em que o B+P foi implantado houve um aumento da produtividade que chegou em torno de 35%. O objetivo agora é repetir essa experiência com as outras equipes”, destaca Sousa.

Como participar do B+P?
Para participar do Brasil Mais Produtivo o empresário precisa realizar o cadastro no site www.brasilmaisprodutivo.gov.br ou procurar um consultor do SENAI Sergipe por meio do endereço eletrônico brasilmaisprodutivo@senai.br ou ainda pelo telefone 79 3218-2901. Ao todo o projeto custa R$ 18 mil reais por atendimento, sendo R$ 15 mil custeado pelos parceiros e SENAI Nacional e R$ 3 mil, pago pelo empresário.

Fonte: Unicom/FIES

Deixe uma resposta