Programa Jovem Aprendiz é porta de entrada para o mercado de trabalho

0

Com 12,7 milhões de brasileiros desempregados, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), desde cedo, muitos jovens estão buscando alternativas para encontrar oportunidade de desenvolvimento de carreira e conciliar com os estudos por meio do programa Jovem Aprendiz, cuja Lei de Cotas nº 10097 define a faixa etária de 14 a 24 anos. É o caso de Bianca Carvalho, que conseguiu ser efetivada como colaboradora do grupo Cencosud Brasil, quarto maior supermercadista do país, após o término do contrato, onde trabalha há sete anos.

“Foi minha primeira oportunidade profissional. Quando o contrato terminou fiquei seis meses fora porque ainda não tinha 18 anos. Depois desse período me ligaram e eu voltei para o mesmo setor, de Notas Fiscais, no Financeiro. Fiquei um ano e seis meses como terceirizada e depois surgiu a vaga para ser efetivada. Quando cheguei aqui era insegura, até para falar tinha dificuldade. Graças a essa oportunidade que tive, hoje tenho mais segurança, maturidade no que eu faço. Só tenho a agradecer à empresa e ao Senac por essa vivência”, garante.

Trajetória similar também vem sendo traçada por Laura Marina, contratada há dois anos pelo setor de Remuneração e Benefícios, e que também teve no programa uma porta de entrada profissional e a oportunidade de crescimento pessoal. “O programa só trouxe coisas positivas para a minha vida e recomendo essa experiência. Hoje meu irmão está no programa e está vendo o quanto é importante, as responsabilidades que você adquire tanto no trabalho como nos estudos e como isso contribui para o desenvolvimento”, aponta.

O estudante de pré-vestibular, Matheus Jesus, 17 anos, está vivendo essa experiência como Jovem Aprendiz na área de Recursos Humanos da Perini. “É um grande passo para minha carreira profissional. Estou tendo uma experiência administrativa, conhecendo os valores da empresa e construindo bons relacionamentos. É uma importante preparação para a minha carreira”, afirma. Além disso, ele acrescentou que a remuneração lhe dá mais autonomia e independência. “Com o dinheiro que recebo, custeio algumas despesas minhas de estudo e também ajudo em casa”.

Para José Ângelo, que trabalha no escritório da Cencosud Brasil, a experiência tem ajudado, inclusive, na escolha da graduação. “Um dos meus planos era estudar Arquitetura, mas depois de entrar na empresa eu passei a cogitar Administração, até para evoluir em minhas habilidades”, conta. Após o contrato de Jovem Aprendiz, Erilane dos Santos, 22 anos, assistente administrativo do GBarbosa, pretende continuar na rede. “Conheço outros setores, sou proativa e tenho interesse em aprender, então, cada dia vejo algo novo e tento fazer coisas novas que ajudem no meu crescimento. Gostaria de fazer carreira aqui e sei que a empresa oferece condições de desenvolvimento”, conta.

Atualmente, a Cencosud Brasil conta com 732 jovens aprendizes aprendizes ativos nas redes Bretas, GBarbosa, Mercantil Rodrigues, Perini e escritórios. No processo seletivo é realizada uma dinâmica de grupo e entrevista com o intuito de buscar nos jovens valores em consonância com a cultura da empresa, uma vez que a grande maioria nunca teve alguma experiência profissional. Nas lojas, os aprendizes poderão atuar na reposição, na frente de caixa, na gerência, entre outros. Já no escritório, poderão atuar nos departamentos de Recursos Humanos, TI, Financeiro, Jurídico, Logística, Serviços Finanças (Cartão), entre outros. “Desfrutem ao máximo cada minuto como aprendizes. O leque de conhecimentos é enorme, principalmente aqui na Cencosud, multinacional de grande porte”, recomenda Davi Williams Santos Lima, que começou como Jovem Aprendiz há quase quatro anos e hoje atua na área financeira da companhia como Operador de Contas a Pagar.

Como participar do programa Jovem Aprendiz

No programa, o Jovem Aprendiz deve cursar uma formação no Sistema S, CIEE, entre outros, sendo menor de idade, tem que obrigatoriamente estudar em escola regular. Com uma renda média de meio salário mínimo, o Jovem Aprendiz trabalha 4 horas semanais e tem a carga horária total de 20 horas, dividida tanto para a formação teórica, quanto à pratica na empresa.

Além de aprender a atuar em determinadas funções, o jovem, que deve estar regular em seus estudos para se candidatar, tem também sua primeira fonte de renda, passando a administrar um orçamento pessoal e começando a entender a relação entre trabalho e educação financeira.  Os estudantes e demais interessados em trabalhar nas redes da Cencosud Brasil podem cadastrar currículo no www.vagas.com.br/cencosudbrasil

Deixe uma resposta