Sergipe: um destino para conhecer e se apaixonar

O estado reúne atrativos turísticos de diferentes segmentos num só lugar, das águas tranquilas com imensas faixas de areia, passando pelo ícone gastronômico, o caranguejo, até as cidades históricas e o Rio São Francisco

0
Arcos da Orla de Atalaia: ponto turístico de Aracaju. Fotos: Shirley Vidal

É regra: quem visita Sergipe, sempre quer voltar. Foi assim com a potiguar Débora Jales, que esteve na capital sergipana no mês de julho e se apaixonou pelos encantos da pequena grande Aracaju.

“Fiquei encantada com a cidade, por ser organizada, bonita e com muitas opções de passeios, principalmente para as crianças. Pretendo voltar em breve”, aponta.

Aracaju reúne praias de mar tranquilo e extensas faixas de areia, que permitem o descanso que muitos turistas procuram quando elegem esse roteiro. Mas não é só isso. O estado de Sergipe, além de abrigar diversas praias, recebe também em seu território a passagem do Rio São Francisco, o famoso ‘Velho Chico’, que atrai turistas para o município de Canindé, e ainda acumula muita história nas antigas Laranjeiras e São Cristóvão.

20161126_143013_resized
Praia de Aruana: calmaria, sombra e água fresca

A gastronomia também é um ponto forte. Aracaju é a capital do caranguejo no Brasil, possui uma passarela dedicada ao crustáceo na Orla da Atalaia e ainda recebe anualmente um festival gastronômico de caranguejo. Por aqui, os restaurantes turísticos mais visitados são o Cariri, O Miguel e o Pitú com Pirão da Eliane, mas há opções menos conhecidas que também caem no gosto dos turistas.

20161126_140526_resized
Amendoim cozido é patrimônio imaterial de Sergipe. Vale apreciar!

Turismo
Aliando estas qualidades às belezas naturais que estão inseridas no estado, a capital sergipana se tornou uma espécie de roteiro alternativo para quem busca sossego, belas paisagens e especialmente acolhimento durante a viagem.

Isso porque a capital está situada fora da rota principal de turismo e de malha aérea, se comparada com capitais como Fortaleza e Salvador, e abriga ainda um clima interiorano dentro da cidade grande, organizada e estruturada em termos de serviços. Esse fato, de acordo com a consultora de viagens, Gabriela Maria Oliveira Melo, é o que tem aumentado o número de turistas que visitam o estado.

“As outras grandes capitais do Nordeste são maravilhosas, isso é inquestionável. Mas todo o mercado que envolve o turismo nestes locais às vezes afastam alguns turistas, como os pontos turísticos sempre lotados, com produtos sendo vendidos a preços altos e lotação excessiva. Em Sergipe, além de o turista conseguir conhecer os pontos turísticos do estado com mais facilidade, devido às pequenas distâncias, ele não se depara muito com esses elementos das cidades maiores. Isso tem sido peça-chave na hora da escolha deles, a tranquilidade”, explica.

Roteiros
De acordo com um dos responsáveis pela agência Santorini Viagens, Eduardo Barreto, os principais passeios procurados pelos turistas que vêm a Sergipe são para Xingó (R$ 170), Crôa do Goré e Ilha dos Namorados (R$ 50), além de Mangue Seco (R$ 150). Os pacotes incluem os translados e passeios de catamarã.

Dá para chegar em Sergipe de avião, através do Aeroporto Santa Maria, que fica próximo ao principal ponto turístico da capital Aracaju (Orla da Atalaia), e também de forma terrestre, pelas BR’s 101 e 235.

Quem vem a Sergipe geralmente se hospeda em Aracaju, já que os passeios turísticos para outros municípios podem ser realizados em um só dia devido à proximidade, permitindo que o turista retorne à capital a noite. Ainda segundo Eduardo, o melhor local para se hospedar é na Orla da Atalaia, que oferece opções para todos os bolsos, com diárias de R$ 105 (Hotel Orion) à R$ 390 (Radisson Hotel). Ele indica também dois tipos de roteiros, para quem escolhe passar quatro ou sete dias.

Quatro dias em Sergipe
1º dia – fazer um city tour para ter noção geográfica da cidade
2º dia – fazer o passeio pela Croa do Goré/Ilha dos Namorados
3º dia – curtir as praias
4º dia – retornar ao centro e curtir os mercados e os três museus do centro
(Olímpio Campos, Gente Sergipana , centro Cultural de Aracaju) e almoçar no Espaço Zé Peixe

Sete dias em Sergipe
1º dia – fazer um city tour para ter noção geográfica da cidade
2º dia – fazer o passeio pela Croa do Goré/Ilha dos Namorados
3º dia – curtir as praias
4º dia – Fazer o tour histórico São Cristóvão/Laranjeiras
6º dia – Colina do Santo Antônio e Parque da Cidade + caminhada na Orla da Atalaia passando pelo Oceanário
7º dia – retornar ao centro e curtir os mercados e os três museus do centro (Palácio Olímpio Campos, Museu da Gente Sergipana e Centro Cultural de Aracaju) e almoçar no Espaço Zé Peixe

O profissional do turismo indica ainda a substituição de qualquer um dos passeios pela visita à Mangue Seco, que dura um dia e dá direito a transporte, travessia de barco e almoço. “Os passeios são realizados pelo dia e o turista fica com a noite livre, para curtir os centros de artesanatos na Orla, os barzinhos, e claro, apreciar o caranguejo, nosso ícone”, complementa.

20161126_152943_resized
Passarela do Caranguejo, na Orla de Atalaia reúne barzinhos e restaurantes

Outros passeios

Estar em Aracaju também permite ao turista realizar passeios menos convencionais, fora do roteiro comum. Há opções de passeios ao ar livre, pelos parques da Cidade, da Sementeira e dos Cajueiros. É possível assistir o sol se pondo na Orla Pôr do Sol, que fica ao lado do Rio Vaza-Barris. O novo calçadão da Praia 13 de Julho, reformado recentemente, também é uma opção de lazer que rende bons cliques ao lado do Rio Sergipe.

20161126_153537_resized
Na Orla de Atalaia há o Mundo Maravilhoso da Criança, que dispõe de brinquedos gratuitos

Para os que não dispensam as comprinhas durante a viagem, é possível garantir peças únicas da cultura local nos mercados centrais de Aracaju. Dos tradicionais doces em compota às rendas centenárias, tem de tudo um pouco por lá, com preços atrativos e um povo que sabe negociar para ver o sorriso no rosto do cliente-turista.

Os visitantes podem ainda aproveitar para comprar as famosas lembrancinhas, como quadros, chaveiros, chapéus, roupas e até mesmo as nossas deliciosas castanhas de caju. Todos os produtos possuem um toque regional que levará a quem não esteve por aqui, um pouco do gostinho que é viver Aracaju.

Por Danielle Menezes, da equipe VIP

Deixe uma resposta