Tratamento de varizes com laser endovenoso promete alta eficácia, menos dor e nada de cortes

Esta indicação depende de cada caso e de cada paciente, por isso a importância da consulta e os exames de investigação

0

A cirurgia de varizes apresentou inúmeros avanços nas últimas décadas, a cirurgia clássica gradativamente perdeu espaço para novas técnicas a exemplo do laser endovenoso, é o que explica o especialista do Decós Day Hospital, Uellinton Galli.

“O tratamento de varizes com laser endovenoso é uma técnica em que por meio de uma punção da veia doente na perna introduzimos um cateter com um laser na ponta e “queima” aquela veia doente que apresenta o refluxo fazendo com que ela se feche, tratando assim o problema.As principais vantagens do método é ser um procedimento sem cortes, menos hematomas, roxos, baixo índice de complicações, alta eficácia, menos dor e incômodo após o procedimento. A recuperação é muito tranquila, geralmente o paciente recebe alta no mesmo dia, e o repouso é mínimo, o ideal é que o paciente retorne as suas atividades laborais o quanto antes”, detalha.

Ainda segundo o profissional, uma avaliação e exames periódicos são necessários, uma vez que a doença pode começar sem muitas manifestações ou sintomas. “O paciente pode ter insuficiência venosa mesmo antes de surgirem os sintomas, é por isso que é importante realizar uma consulta com o profissional habilitado sempre que houver dúvidas, e ele solicitará os exames para investigação do caso e  se há necessidade de algum procedimento, uso de meia ou tentar melhorar algum  dos fatores de risco”, comenta.

Grupo de risco

Segundo o especialista as varizes  nos membros inferiores afetam homens e mulheres em diferentes idades desde a adolescência até a terceira idade, sendo mais incidentes no sexo feminino, e a principal causa é a hereditariedade, cerca de 80% dos casos, outros fatores de risco são: obesidade, uso de anticoncepcionais, e atividades laborarias em que a maior parte da jornada de trabalho é em pé ou sentado.

Prevenção

A fim de prevenir os tão indesejados vasinhos, o médico recomenda atividade física regular, uma boa alimentação e ingestão de água, manter o peso ideal para estatura, uso de meias de compressão quando for indicado e manter um acompanhamento com angiologista e ou cirurgião vascular para o seguimento e tratamento, já que é uma doença crônica e sem cura, ou seja, mesmo após o tratamento, seja cirurgia, laser e ou escleroterapia outros vasinhos ou varizes podem surgir.

Currículo

Uellinton Galli é cirurgião vascular graduado pela Fundação Beneficente Hospital de Cirurgia, em Aracaju; titulado pela Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular do Brasil.

Deixe uma resposta